sexta-feira, 29 de julho de 2011

Muito pouco



   Mesmo tendo em conta que este foi ainda o primeiro jogo oficial da época a exibição do Vitória foi muito fraquinha. Faltou chama, garra, ambição e determinação. Tal como previa o Midtjilland não é um adversário complicado. Esta aliás bem ao alcance do Vitória. Não se viu nada de especial desta equipa nórdica, nem o apoio do seu publico era grande coisa, têm um estádio de 12 mil lugares e estava cerca de meia casa. O Vitóri tinha todas as condições para ganhar o jogo. Salva-se pelo menos o menos mau não sofremos nenhum golo o que acaba por já não ser muito mau.
   Acredito que este jogo tinha mesmo que ser ganho, por vários motivos. Primeiro porque o nível do adversário só nos pode permitir ambicionar duas vitorias. Segundo porque pelo que se viu esta equipa será bem mais perigosa a jogar fora, podendo jogar só no contra-ataque, o que deixa antever um segundo jogo bem mais complicado. Terceiro porque agora acabaram os jogos a brincar, a partir deste momento todos os jogos contam. Por último porque seria muito importante ganhar esta primeira mão fora, de forma a conseguirmos encarar a segunda mão mais tranquilos. É que a diferença entre o jogo da segunda mão e a final da supertaça é muito curta. Seria por isso muito importante poder abordar o jogo da segunda mão com outra tranquilidade.
   Mas tudo me leva a crer que o objectivo de Manuel Machado era este, um empate e de preferência sem golos. O que para um clube como o Vitória é constrangedor. Não podemos entrar em campo com o objectivo de alcançar um empate, até porque na maioria das vezes quem joga para o empate acaba por perder. Mas a verdade é que a forma como Manuel Machado montou a equipa dava logo a entender que queria um empate e que depois se fosse possível num contra-ataque rápido procurava o golo, mas o fundamental era o empate. Isso entendeu-se logo desde o início, uma equipa sem ponta de lança e um meio campo de contenção. Concordo, como já disse noutras ocasiões, que o Edgar não é o matador que todos queriamos, mas é o único ponta de lança, por isso têm de jogar. E o mal do Vitória nem esteve ai, porque o Toscano até nem esteve mal. O mal esteve no meio campo. Era um meio campo sem ritmo, sem velocidade e que era mais de contenção do que de ataque. Acho que a titularidade do Pedro Mendes e do El Adoua são indíscutiveis, eles são na verdade dois jogadores acima da média. Que trazem á equipa muita classe e qualidade, e que devem por isso, na minha opinião, jogar. Só que o Pedro Mendes esta ainda sem ritmo, não pode ainda fazer um jogo completo e muito menos se pode pedir-lhe que renda já aquilo que poderá vir a render. O El Adoua, a contratação que mais me surpreendeu e que acho realmente ser muito bom jogador, era central quando chegou. Logo esta a adaptar-se a uma nova posição e bem, mas não imprime velocidade ao jogo. Logo estes dois jogadores são essenciais para a equipa só que precisam de alguém que possa dar ao jogo a velocidade que eles não dão. E esse alguém não é certamente o João Alves. O João Alves nesta fase parece que já têm uma época nas pernas, esta lento preso de movimentos, quase que se limita a arrastar pelo campo. Não podemos entrar num jogo destes com três médios sem velocidade, isso condena logo á partida uma estratégia ofensiva. Passámos desde logo a jogar numa estratégia de contenção. Sendo esse a meu ver o grande mal deste jogo e só por isso não ganhámos. Foram apenas dois erros cometidos por Manuel Machado, uma estratégia de contenção e a titularidade do João Alves, mas foram suficientes para não ganharmos a um adversário acessível. Espero muito sinceramente não ter que ver muitas vezes o João Alves a titular, especialmente se for para fazer jogos como o de hoje. Onde perdeu vários lances de ataque, voltou a rematar á João Alves, tão longe da baliza que é inaceitável para um jogador profissional, foi lento a recuperar e não acrescentou nada á equipa. O que começa a ser, infelizmente, cada vez mais frequente, as exibições do João Alves têm vindo a ser cada vez piores, espero que o Manuel Machado veja isso e o ponha no seu lugar que é no banco.
   Agora que a primeira etapa desta eliminatória esta concluida só nos resta ir ao estádio na próxima quinta-feira e apoiar a equipa rumo á próxima fase.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Vá-se lá entender


   O Vitória já está em Herning e no dia em que realiza o seu primeiro jogo na liga europa 2011/2012 é notíciado por O Jogo que os adjuntos não viajaram com a equipa.Claro que não ficaram todos por Guimarães, apenas José Augusto e Flávio Meireles não viajaram com a equipa. Até compreendo, pois há jogadores que não foram convocados e precisam treinar. Até ai é lógico e faz por isso todo o sentido que tenham ficado adjuntos em Guimarães, para orientarem esses treinos. Agora o que não consigo entender é a falta de coerência existente. Na semana passada o responsável por ir observar o Midtjylland foi o Jose Augusto e agora fica em Guimarães? Não faz sentido, se foi ele que fez a observação da equipa, o que faría todo o sentido é que estivesse junto da equipa. Pois neste momento não há nada mais importante que o jogo com o Midtjylland.
   Mas pelos vistos paga-se uma viagem á Dinamarca a um adjunto e depois deixa-se ficar esse mesmo adjunto por cá, não faz sentido. Jose Augusto devería estar junto da equipa e o Vitória devería retirar o máximo partido de tudo o que ele viu sobre o Midtjylland.

Que equipa é esta



   Foi com um misto de surpresa e tristeza que vi esta reportagem na Rtp. Uma reportagem normal sobre a partida do Vitória para a Dinamarca. Até ai nada de surpreendente, tudo normal. Mas logo com o início da reportagem começou o meu desagrado. Não é que nem numa reotagem europeia a Rtp se digna a chamar ao Vitória, Vitória. Mesmo quando vamos jogar fora do país este incompetêntes continuam a chamar-nos Guimarães, lamentável. Algo que infelizmente já esperava mas que não deixa de me entristecer, é que sempre pensei, que pelo menos numa situação destas, houvesse um pouquinho mais de respeito e nos chamassem Vitória. Mas na verdade este foi apenas o factor que me entristeceu e nem é o mais grave, pois há outro muito pior e que esse sim é gravíssimo.
   O segundo ponto aquele que acho ser o pior esta relacionado cons os equipamentos do Vitória. Confesso que tive que ver a reportagem mais do que uma vez, é que nem podia acreditar. Mas afinal num jogo europeu a comitíva do Vitória não vai identificada? Como é isso possível? Como se pode ver na imagem que ilustra este post, não há qualquer alusão ao Vitória na roupa dos jogadores. Nem na frente dos pólos, nem nas mangas, nem nas costas. Quando vemos o que traziam vestido por cima dos pólos a mesma coisa nem uma única alusão ao clube. Inacreditável.
   Mas não basta já a fraquíssima qualidade do material Lacatoni? Agora nem equipamentos para estágio ou viagem, para jogadores, essa marca de 2º categoria dá ao Vitória? Custa-me ver como descemos baixo, como estamos entregues a um amadorismo assustador. Parecemos um qualquer clube de 5ª categoria que está todo contente por ir dar um passeio á Dinamarca. Há que ter brio, respeito pelo clube e pela sua história e acima de tudo profissionalismo. É gritante ver como as coisas são ainda feitas no Vitória. Mas o que mais me custa é pensar nas imagens que vi o ano passado de todas, sim todas sem excepção, as equipas portuguesas nas competições europeias. Pelo menos as que chegaram á fase de grupos, que é o patamar desejado pelo Vitória. Todas elas apareciam neste tipo de reportagem não com pólos do clube, mas com fatos oficiais. É lamentável pensar o nível de amadorismo que isto representa. Tanto mais que vivemos numa sociedade onde a imagem é cada vez mais importante. Claro que se dermos exemplos destes depois não serêmos levados muito a sério.
   Infelizmente começo agora a compreender as palavras do Vice-Presidente Paulo Pereira, que disse no final da taça de Portugal que, o Vitória não estava ainda á altura de disputar aquele tipo de jogos. É verdade os adeptos estão mais do que á altura como sempre se viu, o clube também pois têm todas as condições para isso, optimas infra-estruturas e condições de trabalho invejáveis, o que me parece ser a única coisa que não está á altura de conquistar títulos são os exemplos vindos de cima. Esses exemplos, esse amadorismo e essa falta de paixão pelo Vitória é que nos vão adiando os títulos.
   Espero que este inacreditável erro seja emendado e que futuramente os jogadores do Vitória sempre que aparecem publicamente, sejam dignos representantes do Vitória.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Rui Miguel


   De acordo com os jornais desportivos Rui Miguel estará mesmo de saída do Vitória. Desta vez parece que a transferência se vai mesmo realizar, depois de por várias vezes o seu nome ter sido apontado a vários clubes, Rui Miguel estará mesmo de sáida.
   Na minha opinião esta é a solução mais lógica para este caso, a melhor solução para o jogador e para o Vitória. Para o jogador pois havia para a sua posição um excesso claro de jogadores. O que iría dificultar bastante a sua utilização, voltando este a não ser provavelmente o seu ano. Logo ao mudar de clube poderá jogar com maior regularidade, o que será bom para a sua carreira desportiva. Para o Vitória esta é também a melhor solução, pois desde que chegou Rui Miguel nunca se afirmou. Não conseguiu ter no Vitória o mesmo brilho que teve noutros clubes, nem consegui ser um indiscutível na equipa. Nunca foi o 10 que todos esperávamos.
   Mas há que reconhecer que embora Rui Miguel nunca tenha sido uma referência da equipa, foi um jogador que sempre sentiu a camisola que vestiu. Vi no Rui Miguel uma garra, uma paixão e um respeito pela camisola que vestia, como vi em poucos. Sempre esteve disponível para a equipa, significasse isso o que significasse. Se tivesse de ser suplente era-o sem qualquer problema, nunca levantou problemas e nunca forçou a sua saída. Foi aliás dos poucos que vi chorar na final da taça perante um resultado humilhente. Algo que diz muito da sua postura, pois enquanto alguns falavam de objectivos cumpridos e do apuramento europeu, ele chorava por temos falhado num momento decisivo. Isso é algo que marca os jogadores e demonstra que há jogadores que são diferentes, que nem sempre a qualidade futebolistica é tudo.
   No entanto, e a acreditar nos valores avançados pelos jornais, uma proposta de 1M€ não poderia ser recusada. Este é um daqueles casos em que consigo dizer que foi um negócio bom para as três partes.
   Agora depois da venda do passe do N´Diaye ao empresário Jorge Mendes por 2,5 M€ e da venda de Rui Miguel ao Kuban Krasdonar por 1M€. Acreditando sempre nos valores anunciados, o Vitória já só terá que realizar 500 mil euros, na venda de jogadores, para cumprir com os 4M€ aprovados no orçamento.
   Espero apenas que neste caso não se veja, uma vez mais, uma transferência duvidosa, daquelas a que infelizmente já vamos estando habituados e em que nínguem sabe muito bem por quanto se vendeu o jogador.

Excelente Iniciativa


   Premiar um asoociado com uma viagem á Dinamarca é, no meu entender, uma excelente iniciativa. Acho que fazem falta mais iniciativas como esta, iniciativas que aproximem o clube dos seus associados. Embora ache também que a forma de seleccionar o vencedor não é a melhor. Pois numa altura de crise, premiar o associado que melhor usa um cartão de crédito, é algo que pode ser controverso. Mas compreendo que o objectivo desta campanha era a promoção do produto, Cartão Caixa Vitória, pelo que esta terá sido a melhor forma de encontrar um vencedor relacionado com o produto.
   Está dado o pontapé de saída, espero agora que esta seja apenas a primeira de varias iniciativas que visem uma aproximação entre o Vitória e os seus associados.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Acessível



   O Midtjylland, adversário do Vitória na Liga Europa, ganhou ontem por 3-2 ao Koge num jogo da superliga dinamarquesa. Tive oportunidade de ver esse jogo, pelo que pude ficar com uma ideia do que espera o Vitória na próxima quinta-feira. Na verdade acredito que este adversário seja acessível, basta estarmos concentrados.
   Pelo que tive oportunidade de ver o Midtjylland tem alguns pontos vulneráveis. Não conseguem reagir muito bem quando sofrem uma pressão alta, limitam-se a chutar a bola para a frente. Contrariamente ao que seria espectável o seu jogo aéreo não é forte, bem pelo contrário, quer ofensivemente quer defensivamente. Defendem muito recuados, quando a outra equipa têm a bola defendem com 9/10 jogadores atás da linha da bola. O guarda-redes Kasper Jensen, não transmite grande confiança. Tendo especial dificuldade nas saídas aos cruzamentos, não agarrou um único, e normalmente hesita em sair dos postes quando têm um avançado pela frente. Mas infelizmente nem tudo são pontos fracos, há também alguns aspectos a que o Vitória deverá ter especial atenção. O principal é o quarteto formado pelos quatro africanos, Rilwan Hassan, Izu Uzochukwu, Jude Nworuh e Sylvester Igboun. Todos são muito rápidos, físicamente fortes e têm uma boa técnica individual. São quatro lanças sempre apontadas á área adversária á espera do momento para correr, nunca desistem de um único lance. A juntar a este quarteto devemos ainda ter em atenção Jesper Juelsgård, o defesa esquerdo. É muito ofensivo, grande parte das jogadas de ataque do Midtjylland começam nos seus pés. Para além de apoir continuamente o ataque, este lateral, têm também uma qualidade de passe muito boa, apostando algumas vezes nos passes em desmarcação. No plano colectivo o ponto mais forte desta equipa é o seu contra-ataque. São muito rápidos a sair em direcção á bliza adversária, jogando de uma forma simples, directa e rápida, tudo o que interessa é chegar á baliza.
   Mas depois de ter visto este último jogo do Midtjylland, fiquei ainda mais confiante, pois não acredito que tenham qualidade para complicar o caminho ao Vitória. Só falta mesmo esperar por quinta-feira e ver qual será o resultado.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

João Ribeiro


   O caso do João Ribeiro é um caso que nunca se entendeu muito bem. É reconhecido de uma forma generalizada que este é um jogador com potêncial, um jogador que teria valor para se afirmar num futuro próxima na equipa. Mas na verdade não foi assim. Até começou bem a sua carreira no Vitória, jogava com regularidade, fazia bons jogos, começava a afirmar-se como titular. Mas de repente eclipsou-se, desapareceu, começou a ter comportamentos menos correctos fora do campo, que eram e bem repreendidos pela equipa técnica e desde então nunca mais se viu o João Ribeiro. Desde de essa altura passou de um promissor jogador, que estava já a ganhar o seu espaço, a um jogador não convocado. Cada vez que jogava já não era o mesmo, não tinha o mesmo brilho e já não era tão interessante como tinha sido. Tenho por isso alguma pena de ver o que se passou com ele, pois acredito que teria futuro. Um jogador que foi internacional nas camadas jovens e que chegou ao Vitória a jogar como chegou, tinha que ter futuro.
   Felizmente nem tudo está perdido pois ele foi apenas emprestado o que significa que poderá ainda regressar. O que acho que foi a melhor solução para este caso, pois se continuasse no Vitória a sua situação só iria piorar e poderia depois ser já irreversível.
   Espero por isso que o jogador aprenda com os erros do passado, que ganhe mais maturidade e que este periodo na Turquia lhe faça bem. Para que futuramente o possámos ver a jogar no Vitória a grande nível.

Campeões


   Eís uma palavra que não se diz muito no Vitória Campeões. Infelizmente ainda não temos muito esse hábito de sermos campeões, mas felizmente isso é algo que vai mudando. Cada vez vamos conquistando mais titulos, em diversas modalides. Certo que ainda só fomos campeões nas modalidades amadoras do Vitória, como no Basquetebol, no Volley, no Kickboxing e agora no Futebol de Praia. Isto como é evidente falando apenas dos séniores. Mas o tempo de ganharmos no futebol há de chegar.
   O que hoje interessa mesmo é dar os parabéns á equipa de Futebol de Praia que conquistou o campeonato nacional. O Vitória está a crescer, cada vez somos maiores.
   Este é o exemplo que devemos transportar para o Futebol de 11, humildade e trabalho, pois só assim se pode vencer.
   PARABÉNS CAMPEÕES

Balanço


   É certo que estamos ainda na pré-época, uma altura propícia a testes e experiências. Mas começa a ser de mais outro resultado negativo. Começam a ser demasiados resultados maus e o preocupante é que a equipa nem é má. O Vitória até joga bem, tendo em conta a fase da época em que nos encontramos. Temos sido, sem excepção, superiores aos nossos adversários. Jogámos melhor, circulamos melhor a bola, temos mais oportunidades de golo, maior posse de bola, mas depois faltanos a finalização. Este é um problema que já há muito esta identificado, de que já se falou bastante, só que tarda em ser resolvido.
   Tudo começou com a derrota em casa frente ao Rio Ave, depois piorou, na vergonhosa derrota, com o Desportivo das Aves, seguiu-se o jogo com a Académica e mais um resultado decepcionante, agora uma humilhante derrota com o Santa Clara. Mas afinal não há evolução? Será que a pré-época não serve para ir melhorando os processos de jogo e os resultados? É que infelizmente o Vitória tem feito o oposto. Até nem começamos muito mal ganhamos bem os primeiros jogos e com muitos golos. Só que agora não há golos. Porquê? É fácil saber porquê. Porque temos claramente falta de um matador, um finalizador que seja capaz de transformar as oportunidades que criamos em golos. Já todos entendemos isso, as reportagens feitas pelos jornais desportivos nacionais apontam no mesmo sentido, mas não há forma de resolvermos o problema. Ainda hoje o jornal A Bola dizia, sobre o jogo de ontem com a Académica, que o Vitória foi superior em todos os aspectos, só não conseguiu concretizar a sua superioridade em golos.
   É tempo de resolverem esta falha grave na equipa, é tempo de se contratar um bom ponta de lança, é tempo de resolver a maior lacuna, por todos identificada, desta pré-época a fraca finalização. É bom que o façam a tempo, enquanto não aparece um qualquer lunático a dizer que a culpa de tudo isto é do Pedro Mendes. Porque antes de ele chegar ganhámos todos os jogos de preparação e depois de ele chegar não ganhamos nenhum. Pois isso seria uma enorme injustiça, não seria verdade e iría causar uma pressão totalmente desnecessária na equipa.
   Agora que a pré-época terminou, pois o próximo jogo já é oficial, é tempo de vermos quais os aspectos mais positivos e mais negativos. Como mais positivo gostaria de destacar, felizmente alguns. Primeiro os reforços. Parece-me que acertámos em cheio em alguns casos, são mesmo reforços e trazem um aumento de qualidade ao plantel. Como por exemplo o El Adoua o jogador que mais me surpreendeu. Um bom central, que pode também ser um bom trinco. Parece ser forte fisicamente, bom no jogo aéreo, boa qualidade de passe, bom sentido posicional e bom a lançar jogadas de ataque e a recuperar bolas. Acredito que seja mesmo um reforço de bom nível. Depois temos ainda, neste capítulo dos reforços, casos como o Pedro Mendes, um valor seguro, o Dinis, óptima aposta de futuro, o Barrientos, só lhe falta adaptar-se porque qualidade têm e o Leonel Olímpio um jogador seguro. Todos estes me parecem ser claramente mais valías para a equipa. Para além dos reforços há também que realçar o bom entrosamento que se vai criando entre os jogadores, a qualidade de jogo que têm sido superior á dos modestos adversários que tivémos e a quantidade de soluções existentes para quase todos os lugares. Em quase todas as posições temos pelo menos dois jogadores de bom nível.
   Quanto aos aspectos negativos apenas acho que seja digno de regísto o problema da finalização. Algo que já deveria estar resolvido nesta altura. Deveriamos já ter um ponta de lança que nos desse garantias.
   Agora que já vamos iníciar a nova época oficialmente apenas temos de acreditar que este problema será rapidamente resolvido e que isso será já visível na próxima quinta-feira na Dinamarca.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Património



   O património é uma das maiores riquezas que o Vitória têm. Sempre tivemos orgulho no nosso património, fomos pioneiros na construção de um complexo desportivo, sempre tivemos um dos melhores estádios de Portugal e temos um dos melhores pavilhões do país. Sem dúvida temos um património invejável, um património que dá a todos os nossos atletas óptimas condições.
   Escrevo por isso este post, pois se é o património uma das nossas maiores grandezas acredito que o deveríamos conservar melhor.Digo isto porque me vai preocupando a forma como se tem negligenciado o nosso estádio. Já todos presenciamos num jogo ou noutro o estado em que se encontram os w.c. . Muitas vezes não têm luz, nem papel higiénico e têm a água desligada. Algo que é a todos os níveis inaceitável. Mas isso é apenas um pequeno exemplo e que felizmente é facilmente solucionável. O que acho que é ja mais preocupante é ver as condições em que se encontram as bancadas. Na entrada 9,bancada nascente, é possível ver dois painéis enormes, que estão partidos ha já alguns meses, no interior da bancada encontram-se em alguns locais buracos que permitem ver desde o topo da bancada até ao ponto mais baixo. Já para não falar no péssimo estado em que se encontram as cadeiras da bancada, que estão permanentemente sujas. Algo que não posso compreender, pois se estamos agora numa fase de venda e renovação de lugares anuais, como podemos vender algo que tem mau aspecto e que está completamente sujo? No mínimo acho que pelo menos nesta altura se deveria mandar limpar as cadeiras, seria o mínimo bom senso, vender algo que não sendo novo estaría pelo menos em boas condições e apresentável. Isto na bancada nascente, que é a que melhor conheço pois tenho lá a minha cadeira. Depois reparei, durante os jogos de apresentação que a bancada central não está em melhor estado. As cadeiras estão iguais se não em pior estado, o sistema de som tem várias falhas e há também situações que necessitavam de ser revistas nas entradas e nos w.c. . Depois temos por fim uma situação que foi a que mais me alarmou pois foi a que demonstrou que realmente existe desleixo com o património do clube, a situação da publicidade. Havia inumeros painéis publicitários de patrocinadores que já não patrocinam o Vitória. Sendo que nos bancos de suplentes era ainda bem visível a anterior publicidade, que em vez de ser removida com diluente, foi simplesmente descolado o vinil e colado um novo vinil por cima.
   Sei que todos estes pormenores são secundários e se calhar pouca gente repara neles, mas a mim preocupam-me. Preocupam-me porque por agora são pequenas questões, fáceis de serem resolvidas. Mas isso é se algo for feito agora. Porque se nada for feito a deterioração será mais rápida e acentuada. Compreendo que o dinheiro não abunda e que provavelmente haverá coisas mais urgentes onde investir, mas a verdade é que aquilo que hoje se pode resolver de uma forma relativamente barata, amanhã poderá, com o agravar da situação, ser já bastante caro. Pelo que defendo que se deveria ir preservando o património que temos, para se poder evitar avultados gastos no futuro. Defendo a manutenção em vez da reconstrução. Gasta-se pouco hoje para se evitar gastar muito amanhã.
   Não consigo compreender como podem as coisas ir ficando neste estado sem que ninguém faça nada. Recordo-me de uma carismática figura, que antigamente zelava pelo estádio o Sr. Cunha, que era o director do campo. Se  não me engano o único "director" que acompanhou Pimenta Machado durante todo o seu mandato. Este director tinha a missão de olhar pelo estádio e de evitar que estas situações acontecessem. O que demonstrava que existia á data uma grande preocupação com a preservação do património. Hoje em dia temos inegavelmente mais funcionários no clube do que tinhamos nessa altura, será que ningém pode cumprir a função do antigo director Cunha? É que zelar por todo o património, e aqui já não falo só do estádio, é algo essencial. Na minha opinião deveriamos ter um funcionário que tivesse como missão única zelar pelo património. Alguém que tivesse acesso ilimitado a todas as áreas do estádio, pavilhão, complexo e píscinas. Tendo como objectivo realizar relatórios sobre as condições em que se encontravam as coisas e alertando para o que necessitasse de manutenção. Acompanhando depois esses mesmos trabalhos de manutenção e garantindo que tudo estaria sempre exemplar.
   Pode parecer que esta é uma questão ridícula, mas na verdade é apenas uma preocupação com um dos maiores bens que o Vitória possui o seu património.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Liga Europa



   Esta encontrado o nosso adversário na Liga Europa o Midtjylland. Depois de terem vencido o The New Saints por 3-1 na 1º mão os nórdicos venceram agora na 2º mão por 5-2.
   Marcaram oito golos em apenas dois jogos, mesmo sabendo que jogaram com um adversário muito inferior devemos sempre ter em conta estes números. Pois pela amostra provam que o Midtjylland tem um bom ataque.

Custódio Garcia



   Custódio Garcia é para mim um dos maiores exemplos de vitorianismo que já existiu. Um homem que dedicou grande parte da sua vida a servir o clube que amava. Fê-lo de forma impar, com uma dedicação e devoção dignos de admiração. Era uma peça muitas vezes invisível, na máquina vitóriana, mas absolutamente indispensável. Pode mesmo dizer-se que sem ele o Vitória não seria hoje tão grande. Tive o enorme privilégio de o conhecer e a honra de com ele aprender muito sobre o Vitória. Um vitoriano como poucos daqueles que respirava Vitória. Tinha uma tal devoção pelo Vitória que desde de sempre guardou tudo o que fosse do Vitória e durante anos foi assim juntando e guardando a história do clube. Muitos dos documentos que foi guardando podem ser vistos no livro que escreveu " Vitória 86 anos de história". Um livro que é quase uma bíblia do vitorianismo.
   Foi ao ler esse livro que por estes dias me lembrei de Custódio Garcia. Lembrei-me também de uma das últimas conversas que tive com ele. Foi no dia das últimas eleições no Vitória. Nesse dia vi Custódio Garcia guardar algo que para todos nós parecia insignificante, um boletim de voto. Questionei-o porque fazia ele aquilo e porque queria ele aquele boletim. Pois a resposta que me deu foi algo que não esquecerei e que agora faz muito sentido. O que ele me disse foi: " Vou guardar este boletim para mais tarde poderem saber como era o Vitória, para se poder ver como cresceu o Vitória. É que se não for eu a guardar estas coisas ninguém o faz. Um dia quando eu morrer ninguém vai guardar nada e vai ser difícil mostrar o que foi o Vitória" A verdade é que agora recordando esta palavras pergunto-me quem irá guardar a história do Vitória? Mas esta não foi a única pergunta que me surgiu, questiono-me também sobre o que é feito do espólio de Custódio Garcia? Não seria digno de estar numa pequena ala do museu? Uma ala a que se chama-se ala Custódio Garcia. Onde se pudesse assim cumprir o seu sonho de mostrar a todos os vitorianos como era o Vitória. Poderia até pôr-se nessa mesma ala a história da famosa comissão de fundos que foi por ele presidida.
   Este foi um grande vitoriano, um verdadeiro exemplo para todos nós, no que ao vitorianismo diz respeito.

Deve ser Brincadeira


   De acordo com o que o jornal O Jogo notícia hoje o Vitória vai inscrever Pedro Lemos, um júnior para a Liga Europa. Segundo a referida notícia esta inscrição ocorre porque é obrigatório inscrever quatro jogadores provenientes da formação. Mas afinal de onde vêm o Alex o Dinis o Targino e o Pedro Mendes? Não são quatro, é que assim sendo os quatro jogadores que citei já preencheriam esse requisito. Mas isso parece-me até uma questão menor. O que realmente me preocupa é tentar entender esta direcção. Mas afinal o que andam eles a fazer? É que a ser verdade esta notícia só podem estar a brincar comnosco. Afinal é esta a surpresa que tinham reservada, para inscrever na europa? Ou será que esta é a brilhante solução encontrada, pelo departamento do futebol, que ia resolver com urgência a falta de um ponta de lança. Seja qual for a justificação, acreditando que a notícia têm fundamento, a verdade é que estamos mais uma vez a brincar com coisas sérias. Assim não podemos ambicionar mais do que os simples erros habituais. É que inscrever um miudo dos juniores na lista da liga europa, sem que ele treine com os séniores, sem que tenha sido chamado para fazer a pré-época e sem que se faça uma aposta séria e sustentada no jogador só pode mesmo ser de quem está a brincar. Não é bom nem para o clube nem para o jogador. Para o clube é mau porque estará a ser ocupada uma vaga por um jogador que não trará benefícios á equipa. Um jogador que não será utilizado e que em caso extremo de necessidade não estará preparado para entrar. Para o jogador é mau porque está a ser atirado ás feras, como muitos outros foram no passado. Por muito bom que possa ser o jogador ele não estará preparado para jogar, pois não o prepararam para isso. Não tem rotinas com o plantel, não tem ritmo de sénior e muito provavelmente se tivesse que jogar seria muito mau para ele.
   Não consigo compreender esta política que se aplica em relação aos jovens jogadores do clube. Primeiro são-lhes dadas grandes oportunidades e depois são esquecídos. Tal como aconteceu com Rafael Bastos e com o Diogo. Este Pedro Lemos será provavelmente só mais um, que agora terá a sua oportunidade de sonho e provavelmente estará por ai a jogar num qualquer Lousada para o ano.
   Já chega de queimar jovens e de brincar com coisas sérias. Queremos que façam o melhor pelo Vitória e não que sejam continuamente incompetêntes.


quarta-feira, 20 de julho de 2011

Será Verdade


   De acordo com o Guimarães Digital Jorge Mendes comprou a totalidade do passe de N´Diaiye por 2,5M€. Será mesmo verdade? Não sei se deva ou não acreditar, pois na verdade o Vitória não confirmou nem desmentiu esta notícia. Mas tudo me leva a crer que será mesmo verdade. É que assim já entendo porque foi tão firmemente defendido na última assembleia geral que iríamos realizar 4M€ na venda de jogadores. Agora também acredito e a julgar pelos valores que foram aprovados, nessa mesma assembleia geral, que Emilio Macedo estaría a espera de vender N´Diaiye por um pouco mais do que os referidos 2,5M€.
   Na minha opinião e a ser verdade esta notícia acho que este até nem é um mau negócio. Pois o Vitória realiza desde já um importante encaixe financeiro e fica ainda com o jogador. É certo que chegou a falar-se que a venda do N´Diaiye poderia render cerca de 5 M€, mas se o vendemos por 2,5M€ e ainda ficamos com ele não é um mau negócio. É que caso não surjam propostas pelo jogador ou caso, espero que não, o jogador se venha a lesionar o Vitória já não irá perder nada. Mais o Vitória poderá até ter recebido dinheiro pelo jogador e continuar a usufruir do seu rendimento desportivo por bastante tempo. Também é certo que poderá por outro lado surgir uma proposta bastante superior a 2,5M€ e ai o Vitória perder muito dinheiro, mas isso é um risco que corremos e é algo que agora diz respeito a Jorge Mendes. Acho por isso que apesar de tudo este é um bom negócio.
   Agora há duas situações que não podem ser esquecidas e com as quais devemos ter algum cuidado. Primeiro para cumprir o orçamento que foi aprovado falta ainda encaixar um valor de 1,5M€ com a venda de jogadores. Segundo a referida notícia avançada pelo Guimarães Digital diz também que o Jorge Mendes poderá também estar interessado na aquisição do passe de alguns jovens do Vitória. Ai já é necessário ter alguma calma e bom senso. Por muito que o dinheiro possa fazer falta e por muito que seja bom receber este dinheiro fácil, não podemos hipotecar o Vitória ao Jorge Mendes. É que é muito bom ter agora o dinheiro e resolver assim alguns problemas pendentes, mas e depois? No futuro não vamos ter jogadores, não vamos realizar dinheiro com transferências e vamos passar a ser apenas uma dependência do Jorge Mendes. Não posso por isso concordar nem aceitar que assim seja. Uma coisa é vender o passe de um jogador específico, faz-se o negócio está feito. Na minha opinião até um bom negócio mas não brilhante. Outra coisa é hipotecar o clube e isso nunca poderei aceitar. Porque em relação aos negócios com o Jorge Mendes desconfio sempre. É que há sempre um se não. Por exemplo o ano passado fizemos o excepcional negócio do Bebé, mas depois tivemos de pagar 500 mil € em ordenados ao Jorge Ribeiro. Como todos sabemos o Jorge Mendes é um dos melhores, se não mesmo o melhor empresário Fifa do mundo e se o é é porque realiza grandes negócios. Agora aquilo que será para o Jorge Mendes um grande negócio pode não o ser para o Vitória é preciso ter muito cuidado. Até porque na transferência do Bebé ainda não percebemos bem quanto ganhou o Vitória e quanto ganhou o Jorge Mendes. É que normalmente um grande negócio faz-se quando se compra barato e se vende caro. Mas a nos não interessa que Jorge Mendes compre barato.
   Uma coisa é a compra do passe do N´Diaiye que até nem vejo com muito maus olhos, outra coisa é ficarmos dependentes deste empresário. Por isso concordo com a venda do N´Diaiye, até porque compreendo que o dinheiro faz falta mas acho que devemos ficar por ai. Tendo de futuro muito cuidado com este empresário pois normalmente quando compra alguém é porque já tem algum negócio em vista e nisso prefiro que seja o Vitória a fazer o negócio directamente e a ganhar o dinheiro.

Lamentável


   Infelizmente no Vitória parece que uma boa notícia vem sempre seguida de uma asneira ou demonstração de amadorismo e incompetência. Depois da boa notícia do emprestimo do Siaka Bamba, eis que surge mais um lamentável episódio. Desta vez é, mais uma vez, a falta de um ponta de lança que nos atormenta.
   Emilio Macedo veio por estes dias dizer que, a contratação de um avançado estava a ser tratada com a máxima urgência e que o jogador poderia mesmo chegar a tempo de ser inscrito na liga europa. Parecia-me díficil que assim fosse e a verdade é que parece que não vai ser mesmo. Falando-se agora que poderá a vaga ficar aberta, uma vez que os regulamentos permitem a inscrição de um último jogador até 24h antes do primeiro jogo europeu. Havendo por isso mais algum tempo. Estamos cansados disto é sempre a mesma coisa, dizem sempre as coisas por meias palavras a ver se nos enganam, já mete nojo. Se estavam a pensar deixar essa vaga em aberto, para poderem inscrever um jogador até dia 27, porque não o disseram logo? Será que Emilio Macedo tem assim tanta aversão a dizer as coisas como elas realmente são? É que neste caso até compreendia, se desde a primeira hora fosse assumido que não se conseguiu contratar um ponta de lança, e que por isso se iría utilizar uma alínea dos regulamentos que permitía inscrever um jogador até dia 27. Mas não, houve a necessidade de dizer que se estava a tratar o problema com urgência e que o jogador que viesse podería ainda ser inscrito na liga europa. Deixando assim a ilusão de que o jogador viría até esta sexta-feira. Mas na verdade ninguém pode dizer que Emilio Macedo mentiu, porque não mentiu é um facto. Pois o jogador que vier, se vier, poderá ser inscrito na liga europa, só que não será até esta sexta-feira. O que Emilio Macedo fez foi contar apenas uma parte da verdade, de forma muito habilidosa e conveniente. Pois esta forma de falar e de contar apenas meias verdades é o que está a afastar as pessoas do Vitória, está a aumentar a descrença e a aumentar a desconfiança. Porque em boa verdade já nunca podemos ouvir esta direcção falar sem nos questionar-mos sobre se virá algum mas ou se mais tarde se saberá que havia ainda algo mais a saber. Isto já enjoa, não consigo, por muito que me esforce, ver, neste tipo de atitudes, a transparência que tanto Emilio Macedo proclamou para o Vitória. Já chega acho que já vai sendo tempo de Emilio Macedo dizer as verdades, tais como elas são sem rodeios.
   Mas há em todo este processo de inscrição de jogadores para a liga europa algo  mais que é lamentável. Que é a situação do William. O William é até um jogador que me agrada, acredito que tenha alguma qualidade e que este ano, sem o azar das lesões que teve na época passada, possa até ser bastante útil. Mas resta saber como esta o jogador fisica e psicológicamente. É que convêm não esquecer que ele já foi dispensado este ano, esteve até a treinar á parte da equipa. Logo um jogador que na época passada é emprestado, que este ano lhe é dito no início de época que não contam com ele, e que é até posto a treinar á parte, poderá evidentemente estar com a moral em baixo e não estará certamente numa condição física óptima. Será por isso conveniente trabalhar este jogador com algum cuidado e paciência. Pois afinal passou de dispensado a reforço. É que o tal avançado de que falava Emilio Macedo, só pode ser o William pois é a única cara nova na lista dos inscritos para a liga europa.
   Enfim toda a situação é lamentável, não se admirem depois é que cada vez mais sejamos um clube amador...
  

Bom Negócio


   O Siaka Bamba revelou-se desde a primeira hora um bom negócio para o Vitória. Primeiro porque sendo um bom jogador, com futuro e provas dadas nos campeonatos portugueses, veio a custo zero. O que é desde logo um bom negócio, porque contratar um jogador que é uma mais valía, ou poderá ser, para a equipa quando este está livre, é um bom negócio. Depois porque tendo o Vitória, este ano, para a sua posição jogadores de grande qualidade, acho que foi encontrada a melhor solução. Ter o jogador a rodar na primeira liga é uma solução ideal para este caso. Uma vez que dificilmente teria lugar este ano, podería no máximo fazer alguns minutos, esta solução permite-lhe jogar, ganhar ritmo e evoluir.
   Este emprestimo ao Beira-Mar, a exemplo do que foi feito na época passada com o Renam, é um bom emprestimo. Temos o jogador a ganhar rotinas na primeira liga, a ganhar maturidade e experiência. Podendo assim, quando regressar ao clube, ser um importante reforço.
   Sou sempre favorável a este tipo de emprestimos, a emprestar jogadores que seja a clubes da primeira ou no máximo da segunda divisão. Era bom que agora outros jogadores que fossem emprestados pudessem também ir para clubes da primeira liga.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Lembram-se?



   Lembrei-me por este dias deste torneio. Estava a ver o calendário dos famosos torneios de pré-época em Espanha, quando me lembrei que o Vitória também tinha um torneio. Mas estranhamente este ano não se vai realizar. Porquê? Este torneio que foi uma das boas ideias de Emilio Macedo já acabou?
   Devo confessar que este era um torneio pelo qual tinha alguma simpatia, por vários factores. Porque se enquadrava nas festas da cidade e assim aproximava o clube e a cidade, porque havía a boa tradição de ser um torneio internacional, porque pelo menos nesse torneio viamos uma equipa um bocadinho superior ao Rio Ave, com todo o respeito pelo Rio Ave, a jogar com o Vitória e a preparar a nossa época. Porque era um torneio bem organizado e por fim porque me fazia recordar os torneios espanhois de pré-época, que sempre admirei.
   Foi por isso com alguma tristeza que reparei que este ano não iríamos ter este torneio. Compreendo que não o poderíamos realizar nas datas em que normalmente se realizava. Mas isso felizmente, porque significa que estamos na liga europa e na supertaça. Agora preferia que se realiza-se o torneio já no próximo fim de semana, entre 22 e 24 de Julho, do que jogar nessas datas o torneio Pedro Pauleta nos Açores. Sempre seria menos uma viagem, numa altura já delicada devido à próximidade da liga europa, e mais uma fonte de receita para o clube.
   Mas infelizmente parece que as boas ideias e as boas iniciativas são as que duram menos tempo...

Liga Europa



   O prazo para a inscrição de jogadores, para a primeira eliminatória da liga europa está a acabar. Até ao dia de sexta feira, 22 de Julho, a lista final terá que ser entregue. E infelizmente aquela que era a nossa mais visível lacuna não foi resollvida a tempo. Continuamos assim com um claro problema na frente, não tendo ainda chegado o tão necessário ponta de lança. Pode no entanto ler-se no jornal Record que há um empenho total do departamento de futebol na resolução deste problema. Segundo Emilio Macedo o objectivo do Vitória é mesmo resolver esta situação rapidamente para que o jogador, que for contratado, possa ainda ser inscrito na liga europa. Na minha opinião não devemos agora andar a correr assim. Sim é extremamente urgente contratar um ponta de lança, mas tivemos tanto tempo para o fazer e não fizemos, agora também não podemos ir a correr. Porque isso iría aumentar o rísco de fazermos uma escolha menos acertada. Se não o contratámos até agora, também o Midjtylland não há de ser nunhum papão e depois para a próxima eliminatória já podemos apresentar outra lista. Por isso se não foi até agora se calhar mais vale avaliar bem a escolha que vier a ser feita e depois contratar um jogador que realmente faça a diferença.
   Mas na verdade outros problemas foram solucionados e bem. É que esta lista obriga ao cumprimento de algumas normas, tais como: a inscrição de quatro atletas que sejam formados no clube e de outros quatro que tenham sido formados no país do clube. Até à poucoos dias o Vitória tinha relativa facilidade em cumprir o segundo critério, podendo para isso inscrever vários jogadores, como por exemplo: Serginho, João Paulo, Tony, Rui Miguel, João Ribeiro, João Alves, Fábio Fortes e Paulo Sérgio. Este é o grupo de jogadores que foi formado em Portugal, do qual o Vitória teria que inscrever no mínimo quatro. Algo que não seria muito difícil. Só que quanto ao primeiro critério as coisas já não eram bem assim, o Vitória teria que inscrever quatro jogadores formados no clube. Mas apenas tinha três, Alex, Dinis e Targino; sendo nesse caso a solução mais provável a inscrição de um guarda-redes dos júniores. Que iría tirar lugar a um outro jogador, mas que sería a única solução para cumprir todos os requisitos exigidos. Felizmente resolvemos essa situação atempadamente e agora temos o tal quarto jogador que nos faltava, o Pedro Mendes. Estamos por isso em condições de poder apresentar a lista e sem ter que recorrer a alternativas de recurso.
   Não devendo esta ser uma eliminatória de extrema dificuldade esperemos agora que se resolva o problema do ponta de lança rapidamente. Para que na próxima eliminatória seja possível apresentar uma lista sem aspectos a rectificar.

Mais Perto


   Ao que parece El Arbi Hillel Soudani está mais perto do Vitória. Quem o diz é o jornal O Jogo, que numa notícia, publicada hoje, avança que o jogador está apenas a um passo de ser jogador do Vitória.  De acordo com este jornal o seu actual clube terá já chegado a uma base de entendimento com o Vitória. Tendo o próprio jogador mostrado interesse em poder jogar na próxima época na liga europa. As coisas parecem realmente bem encaminhadas.
   O tempo que tudo está a demorar a ser resolvido é que não é uma grande notícia. Pois estão a atrasar-se os processos de adaptação do jogador e parece haver cada vez mais clubes interessados. O que, tratando-se de um jogador proveniente da Argélia me deixa algo preocupado. É que ainda está bem presente a memória de um outro jogador que estava quase certo e depois....
   Tal como aqui escrevi noutra ocasião esta transferência tem alguns aspectos que me preocupam, mas como também disse este é um jogador que desconheço completamente. Sendo que a julgar pelo que diz o jornalista francês da France Football Nabil, "Trata-se de um jogador que tem um excelente jogo de cabeça, mas não se limita a ficar dentro da área. Pode partir do meio-campo e consegue aliar a velocidade à técnica, denotando um grande domínio da bola.", sendo ainda regularmente chamado á selecção da Argélia. Parece-me ser um bom cartão de visíta, aliado ao facto de ainda ser novo, apenas 23 anos, e de ter sido o melhor marcador do campeonato argelino com 18 golos.
   Tudo isto parece bom, mas a verdade é que temos de apresentar amanhã uma lista de jogadores, para jogarem a liga europa. Pelo que será certo que sendo esta, ou qualquer outra, a solução encontrada para o ataque, já não vai a tempo de ser inscrito. Não podendo por isso jogar nesta primeira eliminatória com o Midtjylland. Sendo este um primeiro sinal de que devemos realmente resolver este problema com brevidade. Para que seja qual for a solução encontrada não fique fora de mais nenhum jogo.

Midtjylland derrotado


   O Midtjylland adversário mais provável do Vitória na primeira eleminatória da liga europa, já começou o seu campeonato. O que nos deverá alertar, para o facto de poderem já estar com um melhor ritmo competitivo do que o Vitória. Devendo por isso, o Vitória, ter alguma cautela com a forma como irá encarar este jogo. Sendo no entanto uma boa notícia, o facto de no primeiro jogo o Midjtylland, ter perdido em casa com o Silkeborg por 1-2. Jogo onde esteve presente o treinador-adjunto, Basílio Marques. O que demonstra que, de uma forma acertada, estamos a encarar este jogo com bastante cuidado.
   Espero que esta viagem de Basílio se revele bastante proveitosa e permita ao Vitória obter importantes informações, sobre esta equipa nórdica.

sábado, 16 de julho de 2011

Apresentação



   Esta oficialmente apresentada à equipa 2011/2012. Em relação à crimónia de ontem apenas me ficarei por alguns breves comentários, pois julgo que de toda a festa há apenas algumas coisas a reter.
   Em primeiro lugar falarei do Pedro Mendes. Finalmente está consumada a sua contratação e já começámos a sentir os seus efeitos. Hoje ao ver nos notíciarios a reportagem da apresentação do Vitória, vemos que, em toda a imprensa, ecrita e televisiva, tem mais destaque a contratação do Pedro Mendes do que a própria apresentação do plantel. Depois foi visível a adoração que os sócios tem por este jogador, ovacionado, de pé, por todo o estádio durante largos minutos. Percebeu-se que ele devolveu aos adeptos a crença na equipa. Por fim, quanto a este tema, gostaria ainda de deixar uma pequena nota sobre a ideia de tocar "A minha alegre casinha" quando Pedro Mendes entrou. Uma ideia muito boa, pois esta é a alegre casinha de Pedro Mendes e de todos nós, que gostamos de ver os filhos da casa regressarem.
   Outro dos aspectos que me apraz realçar é a, justa, homenagem a Flavio Meireles, um eterno capitão. Concordo plenamente com a realização desta homenagem, apenas acho que foi demasiado pequena para uma capitão que durante tantos anos lutou a nosso lado. Penso que seria mais justo realizar-se um jogo de despedida. Onde Flavio Meireles pudesse ter de um lado o Vitória e do outro lado uma equipa realizada por amigos do Flávio. Essa sim seria uma verdadeira homenagem para aquele que foi um verdadeiro capitão.
   A nota final, são na verdade duas notas. Duas notas que foram o aspecto mais preocupante de toda a noite. Torna-se cada vez mais evidente a lacuna que o Vitória tem no ataque. Começa mesmo a ser gritante, tanto tempo já passou e nada se resolveu. Esta é provavelmente a falha que estará identificada à mais tempo e ainda não está resolvida. É cada vez mais evidente que o Edgar não é um ponta de lança à altura do Vitória, pelo menos para ser titular. Urge por isso a contratação de um ponta de lança, um verdadeiro matador. Porque já se entendeu que a equipa é boa, leva bem a bola joga bem, cria as oportunidades mas depois quando chega lá a frente falta a finalização. O que depois claro complica tudo o resto e repercute-se no resultado final. Para resolver esta situação todos esperavamos que fosse contratado um avançado. Mas pelos vistos parece que a solução foi encontrada dentro de portas. Uma vez que, ao que parece, somos incapazes de encontrar uma solução no mercado. Ontem o William já foi apresentado. Será que agora já agrada? Ou será que à falta de outra solução.... Na verdade não sabemos, sabemos isso sim que se é no William que vão apostar então deixem-no jogar. Dêem-lhe minutos e deixem-no criar rotinas com a equipa, para que depois não digam que afinal não serve.
   Acreditando que estará agora praticamente fechado o plantel, posso dizer que, esta equipa me dá alguma confiança. Permite-me olhar confiante para a próxima época e acreditar em bons resultados. Agora apenas temos que encontrar um bom ponta de lança e temos equipa.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

F.C. Midtjylland ou The New Saints?


   O sorteio da Liga Europa foi, como de resto já vamos ficando habituados no Vitória, algo incerto. Algo incerto porque mesmo já se sabendo qual o adversário que pode sair ao Vitória, estes dois clubes estão ainda a disputar uma eliminatória, tendo-se por isso que esperar para saber qual será realmente aquele que irá jogar com o Vitória.
   Uma desta duas equipas, F.C. Midtjylland ou The New Saints, será o primeiro adversário do Vitória na Liga Europa. Uma é uma equipa nórdica a outra uma equipa galesa. À partida as duas equipas serão acessíveis, não devendo por isso o Vitória ter muitos problemas em seguir para a próxima eleminatória.
   Das duas o mais provável é que o Vitória defronte os nórdicos. do F.C. Midtjylland pois venceram a primeira mão por dois golos de diferença.
   Não podendo dar de barato esta eliminatória, sob pena de termos um dissabor, estas são duas equipas que nos podem dar a confiança de pensar mais à frente. Pois não passar qualquer um destes clubes seria catastrófico.

Confirmado


   Está confirmado Pedro Mendes esta de volta ao Vitória. Finalmente uma boa notícia, uma daquelas notícias que nos provoca discretos sorrisos. Finalmente um jogador à Vitória, com garra, ambição, qualidade e muito acima da média.
   Depois de nos últimos dias termos visto e ouvido coisas que foram para todos nós incompreensíveis finalmente Pedro Mendes assina e é jogador do Vitória. Sobre toda esta, escusada, novela em que misteriosamente andou a transferência envolvida, muitas dúvidas ficarão. Mas o que interessa é que o Pedro Mendes já assinou e que nas próximas duas épocas vai jogar no Vitória recebendo um salário de 35 mil € mensais. O que prova o seu vitorianismo, pois embora para o Vitória este seja um salário bastante elevado, para Pedro Mendes representará certamente uma significativa redução. Especialmente se tivermos em conta que tinha convites da Rússia que são famosos por pagar bastante mais.
   Aquilo em que na verdade já não acreditava aconteceu e a direcção do Vitória deu-se conta do erro que ia cometer, ao não contratar Pedro Mendes, tendo emendado a situação a tempo. Tivemos a sorte que desta vez estavamos a falar com um vitoriano, que não se importou de esperar, nem quis ir atrás de uma proposta muito mais alta.

A Brincar???


   O Vitória é, felizmente, um clube cada vez mais eclético. Mesmo que todos saibam que o futebol seja a principal modalidade, aquela que mais nos apaixona, mais nos faz vibrar e que é a razão da nossa existência. Não nos podemos esquecer no entanto que para nós vitorianos todas as modalidades, em que existam atletas a competir com o simbolo do Vitória, são importantes. Sendo por isso totalmente irrelevante a modalidade a que dizem respeito os factos ocorridos. Para mim seria tão grave esta situação fosse no futebol, no volley ou no ping-pong. Havendo no entanto a agravante de estarmos a falar de uma modalidade onde o Vitória já conquistou os mais importantes títulos nacionais de séniores.
   Nunca aqui escrevi sobre a polémica que surgiu na última assembleia geral do Vitória, entre Miguel Salazar e Emilio Macedo. Primeiro não o fiz porque acreditei que esta seria uma história que veriamos resolvida rápidamente, depois porque, embora nunca tenha tido qualquer dúvida de onde estava a razão neste caso, não quis tomar partido por qualquer um dos lados. Mas a verdade é que o que é demais é erro e se Emilio Macedo estava tão seguro de que os factos relatados naquela assembleia eram mentira então que avance para tribunal. Pois a mim apenas me surpreenderia se realmente fosse capaz de provar que nada disto era verdade. Embora esta seja uma situação absolutamente inacreditável, para mim, nunca restaram dúvidas de que Miguel Salazar estava a dizer a verdade. Agora com o passar dos dias apenas temos visto isso mesmo, que quem tem razão é Miguel Salazar. A única pessoa que esta verdadeiramente empenhada em que se saiba a verdade e que tenta, por todas as formas, que o ocorrido não caia no esquecimento. Pois por mim não há de cair nunca no esquecimento.
   Para os que não estiveram na referida assembleia, procurarei de uma forma sucinta, resumir o que foi dado a conhecer aos vitorianos por Miguel Salazar. Miguel Salazar denúnciou um episódio ocorrido antes de uma meia final da taça de Portugal de Volley, que seria jogada em casa contra o Benfica.. Ao que parece cerca de uma hora, hora e meia antes do jogo, estava a equipa reunida a ouvir indicações da sua equipa técnica e a preparar-se para o jogo. Quando Emilio Macedo se dirigiu à equipa para falar com os jogadores. Todos esperavam ouvir um discurso motivador. Mas Emilio Macedo começou por inicialmente falar nas dificuldades financeiras do clube e nos vencimentos que os jogadores teriam em atraso. Depois resolveu revelar que não poderia garantir a continuidade a nenhum jogador para a época seguinte, pois a situação era complicada e não sabia se o Vitória iria continuar a ter o Volley. Ao que resolveu acrescentar que por esses dias tinha jantado com Luis Filipe Vieira, e que este lhe teria garantido que contrariamente ao Vitória, que não sabia se iria continuar com o Volley, o Benfica iria fazer uma aposta mais forte no Volley na época seguinte. Estando por isso o Benfica interessado em jogadores que pudessem sair do Vitória. Este foi de acordo com Miguel Salazar o discurso que Emilio Macedo teve antes de uma meia final a disputar com o Benfica. Agora passados alguns dias sobre esta denúncia apenas vimos um dos lados empenhado em provar a verdade, porque será? Mas para aqueles que possam ter algumas dúvidas surge agora a prova cabal, o depoimento de Fabio Jardel, que era a data jogador do Vitória. Sobre os factos relatados por Miguel Salazar o jogador faz a seguinte declaração:
"Eu lembro sim dessa reunião e a reunião foi na sede do clube, num dia de video da equipa, e presidente entrou para nos dar boa sorte e falou sim arrespeito dos salarios atrazados e que logo seria resolvido ,pra mim foi resolvido logo depois, e falou mesmo que no benfica ia mesmo apostar firme e forte e que o vitoria estava com dificuldades , mais ele pra mim brincou ao falar que a gente poderia procurar emprego la no benfica ,ficou um pouco suspeito mais pra mim ele estava brincando."
   Para mim tudo isto é absolutamente intolerável, e enquanto vitoriano não poderei nunca esquecer isto ou fazer vista grossa sobre o caso. É demasiado grave para que assim seja. Já todos estamos cansados de ver no Vitória dirigentes com outras simpatias clubísticas. Mas desta vez as coisas foram longe de mais. Não chegasse já a famosa venda de cadeiras a benfiquistas ou a troca dúvidosa de jogadores, agora ainda vai de uma forma encapotada encorajar o Vitória a perder com o Benfica??? Mas afinal o que é isto? Eu enquanto vitoriano estou cheio e não irei compactuar mais com estas situações. Não se esqueçam que ficar calado ou ignorar o sucedido é uma forma de compactuar e permitir que estas e outras situações se voltem a repetir. 
   Só espero que se saiba qual a verdade o mais cedo possível e que quando essa mesma verdade for conhecida, Emilio Macedo tenha a dignidade de pedir a sua demissão, e a sua destituição de associado do clube, pois quem prejudica assim o Vitória não merece nem dizer que pertence a nossa família. Caso não o faça apenas nos resta a nós sócios convocar uma assembleia geral e mandá-lo embora. CHEGA, O VITÓRIA AOS VITORIANOS!!!
  
   


quinta-feira, 14 de julho de 2011

Bastante Idoso

  
   É assim que Luciano Spalletti actual treinador do Zenit define Fernando Meira. Que a situação actual de Fernando Meira, no Zenit, não era muito famosa já todos sabíamos, mas chegar a este cúmulo era algo que nenhum de nós esperava. Tanto mais que cada vez são mais os exemplos de grandes jogadores que jogam até aos 35/36 anos. Se não vejamos o exemplo de Javier Zanetti que já tem 38 anos e esta agora a disputar a Copa América. Alguém se atreve a chamar-lhe bastante idoso? Pois a verdade é que em algumas posições específicas a idade não é uma desvantagem, é, isso sim, uma grande vantagem. Há três tipos de jogadores em que a idade não conta, apenas interessa saber se estão bem físicamente. São os casos dos guarda-redes, dos centrais e dos pontas de lança. Há inúmeros exemplos disso, mas apenas vou citar alguns. Na balíza temos exemplos como os de Edwin Van der Sar, que apenas deixou o futebol aos 40 anos, ou do Michel Preud'homme que já tinha 34 anos quando assinou pelo Benfica, o que não invalidou que fosse um dos melhores guarda-redes que vi em Portugal. Depois na defesa temos exemplos como: Fabio Cannavaro, que aos 33 anos era capitão da selecção que foi campeã do mundo, ou Marco Materazzi, que aos 38 anos continua a ser considerado um dos melhores centrais do mundo. Por fim na frente temos exemplos de grandes pontas de lança já trintões, utilizando neste caso dois exemplos bem conehecidos do campeonato portugues, sendo um deles ainda actual. O primeiro exemplo é Beto Acosta, considerado por muitos velho quando veio para o Sporting, mas demonstrou que afinal não era bem assim, tendo marcado em três épocas 39 golos. Temos por fim o actual exemplo de João Tomas que aos 35 anos foi o melhor marcador portugues da 1º Liga. Como podemos ver, por estes exemplos, velhos são os trapos. Se para Spalletti, Meira, está velho para nós vitorianos não esta e será sempre bem vindo.
   Ao que parece o contrato de Fernando Meira acaba agora no final de Novembro passando o jogador a estar livre a partir dessa altura. Assim sendo significa que Meira esta já a menos de seis meses do final de contracto, pelo que poderá já negociar com outros clubes e até mesmo assinar já um novo contrato. Por isso o Vitória poderia já fechar com o jogador o seu regresso para Dezembro. Garantindo assim que o jogador viría mesmo para o Vitória e evitando dessa forma futuras novelas e incertezas como se tem verificado no caso Pedro Mendes. Pois o jogador por mais que uma vez já disse publicamente que queria vir para o Vitória e também é sabido que é um jogador que agrada aos sócios. Tudo isto, aliado as excelentes qualidades de Meira e ao seu curriculum invejável, faz com que esta situação possa ter um único fim. A contratação de Fernando Meira.
   Espero assim que haja um bocadinho mais de bom senso neste caso e que se resolvam as situações atempadamente.

Menos uma opção


   Mário Rondón era uma das soluções apontadas para o ataque do Vitória. Mas o jogador rumou ao Nacional da Madeira, clube onde irá jogar durante as próximas cinco temporadas.
   Depois de Carlão é agora a vez de Mário Rondón rumar a outras paragens. Continuando o Vitória sem apresentar uma solução para esta vaga no ataque. O que, com o passar do tempo, vai sendo cada vez mais preocupante, pois os jogadores vão decidindo o seu futuro, as alternativas vão escasseando e a liga europa esta cada vez mais perto. Diminuindo assim o tempo de integração que a opção escolhida terá. Comprometendo-se assim a aquisição de rotinas e a preparação da equipa para o primeiro jogo na liga europa.
   Espero por isso que esta situação se resolva rápidamente e que apresentem o jogador o mais brevemente possível.

Triste


   Infelizmente já vamos ficando habituados a estas situações no futebol mundial, mas a verdade é que o caso do N´djeng é triste. Não bastasse toda a situação que já todos conhecíamos e que já não era por si só muito famosa, ainda vem agora o jogador responder em alguns jornais ao comunicado realizado pelo Vitória. Para nos dizer coisas tão interessantes como: "N'Djeng compreende a decepção dos adeptos do Guimarães, mas explicou que o Espérance de Tunes, da Tunísia, lhe fez uma proposta "muito mais alta", daí ter mudado o rumo" ou ainda ""Eu adorei Guimarães. A cidade é linda. Gostaria também de agradecer aos líderes do clube e a todas as pessoas, que me receberam muito bem". Mais uma vez este é um caso em que o dinheiro falou mais alto. Algo que é cada vez mais compreensível nos dias de hoje, mas que não deixa de ser lamentável. Pois o jogador chegou a ameaçar com greves se não o deixassem vir para o Vitória, veio cá gostou da cidade e das pessoas, mas na verdade nada disso lhe interessou quando chegou a hora da decisão. Apenas lhe interessou ver onde havia mais dinheiro. É triste quando assim é e mais triste se torna quando há o descaramento de vir publicamente dizer que, o que pesou na hora da decisão foi o dinheiro.
   Temos um futebol que está cada vez mais desvirtuado, onde cada vez interessam menos os projectos desportivos, as condições de trabalho, a projecção da carreira ou a palavra assumida pelos jogadores. Cada vez mais o futebol é um negócio e tudo o que conta é o dinheiro, havendo amor apenas a uma cor, a do dinheiro.
   Lembro-me ainda, felizmente, de alguns casos que vão provando que nem sempre é assim e que há pessoas para quem existem valores mais fortes do que o dinheiro. Como por exemplo Steven Gerrard do Liverpool ou Totti da Roma ou ainda Xavi do Barcelona. Felizmente estes são alguns dos exemplos que nos mostram o que de mais puro há no futebol, o que nos faz ser apaixonados por este desporto. Estes são atletas que nos fazem ir aos estádios, que nos fazem sofrer pelo nosso clube, comprar camisolas e até dão sentído às próprias rivalidades existentes no futebol. Mas estes casos não acontecem só lá fora, nem acontecem só nos clubes de topo europeu, pois a verdade é que por cá também temos exemplos disso. Como o caso do Pedro Mendes que mesmo tendo propostas da Rússia, que certamente serão financeiramente muito mais vantajosas que a proposta do Vitória, prefere vir para cá e jogar no clube do seu coração. Pena que alguns não entendam isso e estejam prestes a estragar tudo.
   Espero nunca mais ouvir falar deste mercenário do futebol chamado N´djeng e que no futuro possam existir mais exemplos como o do Pedro Mendes.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Descartado


   Está descartada a possíbilidade de Carlão vir a jogar no Vitória. De acordo com o jornal A Bola o jogador rumou ao  Neuchâtel Xamax da Suíça. O jogador, que está contratualmente ligado ao Kashima Antlers, do Japão, vai mudar-se para o clube suíço por empréstimo.
   Menos uma opção para o nosso ataque, é pena pois acreditava que esta fosse uma boa solução. Mas não é nada de dramático, é apenas o concluir de uma situação que poderia ter trazido até Guimarães uma agradável solução.
   Contínuaremos à espera de ver quem virá afinal.


Mais um...


   Mais um candidáto à vaga de ponta de lança, mais um proveniente do campeonato argelino e mais um que dentro de pouco tempo entrará no ramadão. É hoje notíciado, pelo jornal A Bola, que Hilal Soudani é um dos alvos do Vitória para a vaga em aberto no ataque.
   Esta é uma notícia que não me agrada muito e curiosamente não por causa do jogador em si, que desconheço, mas sim por vários outros motivos. Este é mais um jogador proveniente do norte de África, região onde acredito haver grandes jogadores. Aliás todos se lembraram de alguns grandes jogadores provenientes destas origens, que jogaram no Vitória. Temos os casos do Ziad, do Benachour ou do Ghilas entre outros. Mas a verdade é que estes são jogadores que tem dois grandes problemas, primeiro por motívos religiosos cumprem o ramadão, ficando assim debelitados físicamente durante um período considerável. Segundo são jogadores que normalmente participam na Taça das Nações Africanas, o que os afasta também por um período considerável. Logo estes dois motivos levam-me sempre a ter algum receio de ver este tipo de jogadores no Vitória. Já para não falar na incoerência desta direcção, quando o Nilson se naturalizou para poder jogar pela selecção do Burkina Faso foi o fim do mundo. Criticou-se o jogador disse-se que este não era vitoriano que estava a prejudicar o clube e mais uma série de coisas. Tudo porque em Janeiro estaria na Taça das Nações Africanas e estes jogadores não vão lá estar também? Neste caso isso já não prejudica o clube?
   Mas estas são apenas algumas das questões que me fazem não gostar deste tipo de contratações, porque na verdade, há outras duas questões que me desagradam. Primeiro o facto de este ter sido considerado o melhor jogador do campeonato argelino. Mas afinal se este é o melhor porque iríamos nós buscar outro que não o melhor? Porque é que só queremos o melhor quando o outro falha? Mais um mistério que apenas esta direcção poderá compreender. Segundo, acho que despois da triste história do N´Djeng seria de evitar voltar aquele mercado específico. Afinal já se viu que por aqueles lados há gente muito pouco séria.
   Por fim há apenas uma última questão que me deixa apreensivo. Uma questão surge por causa de uma velha máxima do futebol, que um dia ouvi o Pedroto pai dizer, que é: " Um brasileiro é bom, dois aceitável três uma escola de samba...". Claro que no caso Pedroto queria dizer que o que na medida certa é bom, em excesso pode ser prejudicial. Ora lá esta como Ziad foi bom, Benachour foi bom e Ghilas foi bom. Mas um excesso de jogadores deste mercado já não o será, pois será uma quebra demasiado grande na época do ramadão e da Taça das Nações Africanas.
   Quanto ao jogador em si nada tenho a dizer pois desconheço-o completamente, acreditando até que possa ser um bom jogador. Veremos o que o futuro nos reserva.

Será possível?


   Será possível que não seja este o patrocínio da camisola do Vitória para a época 2011/2012? Custa-me a acreditar que a camisola do Vitória possa na próxima temporada ter um patrocínio que não este. Aliás acho que não faria mesmo qualquer sentido.
   Quando pela primeira vez vi os equipamentos reparei que não tinham publicidade, mas nem me preocupei pois dei como certo que esta sería a publicidade. Até porque já a tínhamos utilízado na final da taça. Algo que na altura achei extremamente bem feito e que encheu todos os vitorianos de orgulho. Agora no seguimento desse acordo pensei que tívesse, desde logo, ficado estabelecido que a publicidade desta época fosse a mesma. Mas começo agora a perceber que não, que esse acordo que seria lógico, não existe. Foi por isso com enorme surpresa que ouvi as declarações de Emilio Macedo na Vitória TV. Na reportagem feita sobre a assembleia geral, da passada sexta-feira, é possível ouvir-se Emilio Macedo dizer que está bastante confiante relativamente as verbas provenientes da publicidade. De acordo com o presidente do Vitória há 3 ou 4 proposta para o patrocínio da camisola e só por isso este ainda não apareceu. Porque ainda não foi escolhida a melhor proposta. Isto não faz sentido. Se não vamos lá ver. A Capital Europeia da Cultura 2012 é um acontecimento que tem como finalidade promover Guimarães. Logo não poderia haver melhor forma de promoção do que o Vitória. Pois o Vitória é a maior instituição de todo o concelho, a que mais sócios tem, a que é mais representativa e a que mais mobiliza os vimaranenses. Havendo ainda, para além de tudo isto, o facto de este ano o Vitória estar nas competições europeias. O que transformaría as camisolas do Vitória no melhor meio de promoção do Guimarães 2012. Afinal de contas o Vitória vai jogar em vários estádios na europa, vai ser visto em diversos países, vai aparecer em inúmeros canais televisívos e vai chegar a um público de vários milhões de europeus. Haverá algum meio de promoção da CEC melhor do que este? Já para não falar que o objectivo primordial da CEC é contribuir para o desenvolvimento da cidade e do concelho e fazer a sua promoção. Ao patrocíonarem as camisolas estariam a fazer tudo isso, pois iriam contribuir para o desenvolvimento da maior instituição do concelho.
   Mas para além de todas estas razões lógicas para esta parceria há ainda o facto de este patrocínio ser uma questão de orgulho para os vimaranenses, para os vitorianos e de ser uma quase que obrigação ética. Pois Guimarães e o Vitória são indissociáveis, em Guimarães apenas amamos um clube que é o Vitória e enquanto vimaranenses queremos ver o nome da nossa cidade na camisola do clube que amamos. Porque todos temos orgulho em ser vimaranenses, e temos orgulho na CEC, por isso queremos poder mostrar a todo lado onde vá o Vitória de onde somos. Queremos dar a conhecer a nossa cidade, mostrar que somos a CEC e demonstrar que Guimarães e o VItória são únicos. Que ser vimaranense e vitoriano é um privilégio de que poucos se podem orgulhar.
   Espero por isso que tal como Emilio Macedo disse, na já referida reportagem, esta questão se resolva ainda esta semana. Sendo este o patrocínio que teremos, nas nossas camisolas e se possível em outras áreas também. Mas essencialmente nas camisolas ai sim é que sería imperdoável não ter este patrocínio.

Vergonhoso



   Esta é uma imagem que infelizmente não voltaremos a ver no Vitória. Uma imagem que irá apenas figurar nas nossas memórias como uma boa recordação.
   Todo este processo, que nos levou a este triste desfecho, é absolutamente vergonhoso. Há muito que não via no Vitória tamanho amadorismo e falta de ambição. Aliás acho que nunca tinha visto, em nenhum clube do mundo, um jogador chegar a acordo com o Presidente e Vice-Presidente para o futebol e depois não assinar. Porque um qualquer funcionário do clube não achava bem. Mas afinal quem manda no Vitória? Quem toma as decisões? Será que ninguém foi capaz de ver que a contratação, do Pedro Mendes, seria muito mais do que a simples contratação de um jogador. Pedro Mendes é um ídolo para os adeptos, é um jogador com provas dadas, com curriculum e com uma inigualável virtude a de ser vitoriano. Se estas não são as características ideais para um jogador assinar pelo Vitória então não sei quais serão. A verdade é que se temos um elemento na equipa técnica que acha que o Pedro Mendes não serve para o Vitória, se calhar a equipa técnica é que não serve. Porque quem não tem a ambição de ter jogadores assim, quem diz que o Pedro Mendes é velho porque tem 32 anos e depois quer o Juliano Spadacio que faz no dia 16 de Novembro deste ano 31 anos... É alguem que não é sério e que não está preocupado com o que é melhor para o clube. É alguem que por um qualquer motivo, que não o desportivo, prefere ter jogadores brasileiros, a quem o Vitória pouco ou nada diz, do que ter jogadores portugueses, vimaranenses e vitorianos. Acho tudo isto no mínimo muito estranho e penso que todos nós vitorianos deveríamos ter o direito de saber quem é afinal esta pessoa que vetou a transferência. Pois é claro e está aos olhos de todos que essa pessoa prejudicou de forma clara e consciente o Vitória.
   A verdade é que toda esta situação e especialmente a justificação de que o principal entrave a contratação teria sido a idade do Pedro Mendes, fez-me de imediato lembrar uma outra situação. Lembram-se quando há uns dias se começou a falar da vinda de Fernando Meira para o Vitória? Na altura a notícia foi desmentida por uma pessoa no Vitória, que em declarações, prestadas a comunicação social, disse mais ou menos o seguinte: " O Fernando Meira não virá porque não se enquadra no perfil de jogadores procurados pelo Vitória, pois o Vitória procura jogadores mais novos que se possam valorizar. Reconheço no entanto que o Meira é um excelente jogador...". Curiosamente a mesma teoria que impediu agora a contratação do Pedro Mendes. Será coincidência, ou será que a mesma pessoa que fez na altura essas declarações foi a pessoa que agora vetou o Pedro Mendes. Fiquei, na altura, admirado quando ouvi José Pereira o director desportivo do Vitória fazer estas declarações. Mas em boa verdade nunca pensei que se chegássemos a um entendimento com jogadores deste nível isto pudesse ser um entrave. Não conseguia, não consigo nem nunca irei conseguir compreender como podemos não ter o Pedro Mendes de volta. Não faz sentido e só pode ter sido vetado por alguém que não é vitoriano, não está preocupado com o bem do clube e de futebol entende muito pouco.
   Mas infelizmente, seja porque motivo for, apenas tenho duas certezas a de que não voltarei a ver o Pedro Mendes jogar no Vitória e a de que nada será feito na sequência deste caso.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Já Assinou


   Mauricio Saucedo, é este o mais recente reforço do Vitória para a nova temporada. Depois da eliminação da Bolivia na Copa América o jogador assinou contrato com o Vitória. É um jogador que desconheço completamente, motivo pelo qual não tenho qualquer tipo de opinião. No entanto corresponde a um critério que me agrada, o facto de ser internacional e de vir para o Vitória depois de participar numa grande prova internacional. Sendo que houve apenas dois pequenos pormenores que me deixaram curioso, que foram: primeiro o facto de que quando ouvi falar na possíblidade deste jogador vir para o Vitória e soube que estava na Copa América tentei ver os jogs da Bolivia para o ver. Mas na verdade não jogou o que me deixou perceber que este é um jogador internacional mas não da primeira linha. O segundo facto que me deixou curioso foi ver que o jogador assinou apenas por uma época com mais uma de opção. O que me leva a crer que os responsáveis vitorianos não estarão completamente convíctos da qualidade do jogador. Fazendo assim um contrato que permite ter alguma margem de erro, podendo assim avaliar melhor o jogador quando este cá chegar.
   Independentemente disso o que agora interessa é que Mauricio Saucedo já é jogador do Vitória, pelo que todos esperamos que seja um grande jogador e que a sua carreira no Vitória seja um sucesso.

Mário Rondón!


   De acordo com o que é hoje apontado, pela imprensa desportiva, o jogador que estará agora na mira do Vitória é Mário Rondón. É um jogador que se enquadra no perfil traçado por Emilio Macedo, que disse estar de olho num avançado internacional. O que no caso de Mário Rondón é uma realidade, na verdade apenas foi chamado à selecção da Venezuela uma única vez, mas isso já faz dele um internacional A. Tendo ainda a vantagem de ser um jogador luso-venezuelano, o que permitirá que não ocupe uma vaga de extra-comunitário. Isto para além do facto de, este jogador, ser já um conhecedor da realidade do futebol nacional, evitando-se asssim um periodo de adaptação.
   Na verdade Mário Rondón nunca foi um jogador que me tenha chamado a atenção, mas é um avançado, que não sendo um desiquilibrador, poderá ser extremamente útil ao Vitória. Pois é um jogador que na última temporada marcou 9 golos, o que num clube como o Paços de Ferreira é um número interessante.
   Fico por isso à espera de novos desenvolvimentos neste caso, certo de que esta não é aquela alternativa que nos entusiasme a todos, mas também não é na verdade uma má alternativa.

Novos Equipamentos!!!


   Foram apresentados os novos equipamentos para a época 2011/2012. Devo confessar que à primeira vista me agradaram, são simples têm, um bom disign e evocam o passado do clube. Três factores que desde logo me agradaram. Depois numa análise mais cuidada, vi um video, onde ouvi Emili Macedo dizer "Penso que este ano os equipamentos tem muita qualidade, um bom disign, penso que vamos ter uma boa adesão da parte dos associados...", depois de ouvir isto fiquei ainda mais entusiasmado com estes equipamentos. Mas será que, finalmente, a Lacatoni fez equpamentos de jeito, pensei eu.
   Infelizmente toda esta minha ilusão durou apenas até à minha visita à loja do Vitória. Pois aí pude constatar que afinal a qualidade dos equipamentos era ainda pior do que o normal. Demasiádo maus para serem verdade. Quando peguei numa camisola nem quis acreditar. Afinal aquilo que, nas fotografías e ao longe, parecia bonito não o era. O V que está na parte da frente das camisolas é feito numa espécie de picotado horrendo e o material utilizado é de fraquíssima qualidade. Mas o mais grave, e que para mim é até um insulto ao Vitória, são os simbolos do Vitória. Estão extremamente mal feitos, tem péssima qualidade e a figura do D. Afonso, da qual todos nos orgulhamos, é práticamente imperceptível. Não posso nem acreditar que o Vitória tenha recebido aqueles equipamentos e os tenha à venda na sua loja. Porque na verdade o que devería ser feito era a devolução imediata de todo aquele material. Demonstrando à Lacatoni que o Vitória não é um clube qualquer. Que aqui não aceitámos qualquer coisa. Na verdade já há muito que o devíamos ter feito, poís já todos estámos cansados de ver o Vitória associado a uma marca com tamanha falta de qualidade. É que infelizmente este não é um problema com os equipamentos deste ano, é um problema que tem sido recorrente, desde que a Lacatoni equipa o Vitória. Sei que o Vitória deve algum dinheiro à Lacatoni e que se calhar por isso ainda não rescindiu com eles. Mas a verdade é que o que é demais é erro e os equipamentos desta época são inaceitáveis. Mais vale indemnizar a Lacatoni e começar a ter uma marca de equipamentos desportivos a vestir o Vitória do que ter uma marca de vestes desportivas. Pois acredito que se realmente os equipamentos tivessem qualidade e fossem de uma boa marca isso se iria repercutir nas vendas. O que num curto espaço de tempo iria compensar a indemnização paga à Lacatoni. Pena que quem de direito não tenha visão para isso. Chega mesmo a ser triste ouvir Emilio Macedo dizer que estes são equipamentos com muita qualidade. Pois apenas prova que neste momento o Vitória aceita quaquer coisa que lhe dêem.
   Acredito que um dia ainda teremos camisolas bonitas e com qualidade, dignas de terem o nosso símbolo!